Bateria: Tudo o que você precisa saber para não errar na hora da troca

A troca da bateria é um procedimento que requer alguns cuidados importantes que ajudam a peça a ter uma vida útil maior.

Muitas pessoas escolhem logo a opção mais econômica, mas fique atento. Antes de escolher é importante consultar um profissional para que ele faça uma avaliação prévia, evitando assim possíveis defeitos no sistema elétrico do seu veículo. Separamos algumas dicas que são indispensáveis para não errar na hora da troca e manter o seu carro livre de possíveis falhas. Confira: Como escolher a bateria certa? A primeira coisa a se fazer é escolher um modelo que seja compatível com o tamanho e as necessidades de uso do seu veículo. Se você não souber, no manual do usuário é possível encontrar todas essas informações. Toda bateria de procedência confiável precisa ter um selo de autenticidade do INMETRO. Verifique a data de fabricação na tampa e o tempo que ela está em circulação no mercado. O indicado é não adquirir peças estocadas a mais de 6 meses, pois pode diminuir a vida útil. Qual o momento certo para efetuar a troca? A substituição por uma bateria nova nem sempre é necessária, algumas falhas podem ser solucionadas por um mecânico. Mas para isso, você precisa saber identificar essas irregularidades e as causas determinantes que apontam o final da vida útil da peça. Essas causas são: A partida mais pesada ao ligar o carro depois de algumas horas parado, faróis fracos, vazamento da água da bateria, defeitos no sistema elétrico do veículo, como: ar condicionado, vidros, travas, central multimídia, injeção de combustível e odor de ácido quando o veículo está ligado. Esses são alguns dos sinais de que a bateria pode estar fraca, mas ela também pode parar de funcionar por outras razões. Se o veículo apresentar falhas se locomovendo é essencial efetuar uma verificação em todo o sistema elétrico com um profissional especializado. Só ele poderá identificar se o problema é realmente a bateria e se é necessário efetuar uma troca. Somente profissionais podem efetuar a troca? Muitos motoristas se arriscam e efetuam a troca sozinhos. Porém, isso não é o correto. As baterias possuem um elemento químico que em contato com a pele pode gerar graves queimaduras e se não manipulado de forma correta pode causar até explosões. Sendo assim, procure sempre um profissional especializado para realizar o serviço. Quando a manutenção deve ser feita? O mercado oferece variados tipos de baterias dentro de duas categorias: seladas e não seladas. O que difere as duas é a periodicidade com que a manutenção deve ser feita. As seladas não precisam de reposição de água por cerca de 3 anos e quase não necessitam de revisão. As não seladas, necessitam de revisão entre três e seis meses. Nessa manutenção é verificado o nível de água destilada, que deve ser mantida acima da placa para impedir a deterioração da bateria e garantir o seu bom funcionamento por aproximadamente 3 anos. O que fazer para ajudar a prolongar a vida útil? Quando se da partida no carro, a bateria é muito exigida. Para impedir uma sobrecarga e consequentemente tornar maior a sua vida útil, deixe sempre desligado os utensílios eletrônicos: central multimídia, ar condicionado, luzes e faróis. Ligar o motor por 5 minutos todos os dias – mesmo que você não vá utilizá-lo – também é muito importante para garantir o bom funcionamento da peça. Gostou do post? Conhece mais alguma dica que pode ajudar na hora da troca de bateria? Conta pra gente aqui nos comentários!

#bateria #trocadebateria #econômica #profissional #veículo #manualdousuário #INMETRO

POST EM DESTAQUE
POSTS RECENTES