Controle eletrônico de estabilidade: Entenda o que é e como funciona!

Todo mundo, provavelmente, já passou por uma situação onde teve que frear bruscamente e até trocar de faixa, seja por conta de uma parada repentina no trânsito, por conta de um pedestre ou animal na pista. Nessas situações, muitos motoristas acabam perdendo o controle do veículo e em alguns casos até capotando. Com chuva então, as condições podem ficar ainda piores.

A proposta do Controle Eletrônico de Estabilidade é diminuir as possibilidades desse tipo de acidente acontecer. Representado pela siglas ESP (de Eletronic Stability Program) ou ESC (Eletronic Stability Control), ele atua da seguinte forma: por meio de sensores inseridos nas rodas, caixa de direção e no eixo longitudinal, o modulo eletrônico do ESC identifica que o veículo se move em uma direção distinta daquela estipulada pelo condutor. O controle compara a direção do volante com o percurso real que o veículo está tomando, se está deslizando ou indo de frente. Tudo isso em 25 leituras por segundo, ou seja, em questão de segundos, o módulo funciona e diminui a tração do motor, colocando o freio na roda indicada, fazendo com que o carro recupere o percurso inicial. O sistema de freios ABS e o controle eletrônico de estabilidade são controlados por módulos distintos, porém, contam com alguns elementos de uso em comum, como os sensores das rodas e o corpo de solenoides, que conduzem a pressão de óleo de freio para a roda determinada pelo módulo eletrônico. Os testes de análise do ESC costumam ser feitos pelas montadoras sobre a pista molhada ou com gelo, pois o atrito do pneu com a superfície diminui, favorecendo as derrapagens laterais. Item obrigatório? Só a partir de 2020 Quando um veículo desliza, muitas vezes o motorista perde o controle da direção, sendo muito difícil conseguir recuperá-la. Com o ESC se torna muito mais fácil. O anúncio de que se tornará um item obrigatório em 2020 foi feito pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em dezembro de 2015. Segundo uma pesquisa realizada pelo site G1 nesse mesmo mês, dentre os 50 modelos mais vendidos do Brasil somente cinco - o que corresponde a 10% do total - tinham o dispositivo instalado em todas as versões, e em outros 12 modelos (24%) o sistema só está disponível nas versões de valor mais alto. Na primeira fase, a obrigatoriedade será apenas para veículos homologados a partir da data de validade da resolução do Contran. Isto é, somente modelos novos e outros que tiverem grandes modificações. Já na segunda fase, que será apenas a partir de 2022, será exigido também nos exemplares 0km de modelos lançados antes da lei estar em vigor. Para expor como o ESC é extremamente importante na hora de evitar acidentes, uma ONG internacional que é especialista em direitos do consumidor, realizou demonstrações no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, justificando que esses prazos sejam adiantados, pois quanto mais pessoas tiverem acesso a itens de segurança, mais vidas serão salvas. Seu carro já possui o controle eletrônico de velocidade? Então conta pra gente como é dirigir um veículo com esse item e se você já teve que fazer alguma manobra onde ele foi essencial para sua segurança!

#Controleeletrônicodeestabilidade #frearbruscamente #animalnapista #pedestre #capotando #chuva #veículo #perdendoocontrole #diminuir #sensores #rodas #caixadedireção #longitudinal #moduloeletrônico #direçãodovolante #25leiturasporsegundo #freiosABS #pressãodeóleo #derrapagenslaterais #perdeocontrole #obrigatórioem2020 #veículoshomologados #0km #evitaracidentes #ONGinternacional #direitosdoconsumidor

POST EM DESTAQUE