Sensor de ponto cego: veja como funciona!

Os pontos cegos muitas vezes são a causa de acidentes, principalmente nas rodovias e em cidades com trânsito intenso. Por isso, nesses casos a atenção tem que ser redobrada na hora de mudar de faixa e fazer ultrapassagens.

Ajustar os retrovisores e encontrar uma posição certa para dirigir ajudam a diminuir esses pontos, porém ainda não é o suficiente, pois as colunas traseiras, os encostos de bancos e outras partes do veículo ainda são as principais causas de pontos cegos. Em consequência disso, para melhorar a segurança, surgiu o sensor de ponto cego dos veículos. Veja a seguir, o que é esse sensor e como ele funciona. O que é? É um dispositivo que aumenta o campo de visão do motorista para 360 graus, auxiliando na identificação de pedestres e veículos que possam estar nos arredores do carro, dentro desses pontos onde a visão é obstruída. Na maioria dos veículos que o sensor de ponto cego vem de fábrica, acompanha também outras tecnologias de drive assist, como por exemplo, o controle de cruzeiro adaptativo, os sensores de mudança de faixa e o sistema de assistência de estacionamento, que juntos reduzem as colisões significativamente. Como funciona? O dispositivo possui cobertura omnidirecional (360 graus) e funciona através de sensores de pulsos ultrassônicos e radares de proximidades que irradiam ondas em todas as direções. Quando esses sensores detectam alguma coisa ao redor do veículo, informam aos sistemas eletrônicos que automaticamente aciona e emite o alerta ao motorista. Além de identificar objetos que estão nos arredores do veículo, alguns sistemas são mais precisos e conseguem calcular a velocidade e a proximidade entre o carro e outros objetos, como pedestres, ciclistas, outros veículos e até objetos parados, assim ele alerta o motorista somente quando necessário. Outros ainda mais sofisticados conseguem diferenciar o objeto e informar ao condutor se é pessoa, veículo ou defensas metálicas, isso é feito com a ajuda de câmeras auxiliares e de um software de reconhecimento de objetos. O motorista pode receber o alerta através de luzes de LED nos retrovisores externos, por luzes no painel ou na coluna traseira do veículo, que são instaladas em pontos estratégicos para evitar que o condutor se distraia. Elas ficam ligadas até o veículo sair do ponto cego. Melhorando o campo de visão O sensor de ponto cego é um grande assistente de direção, porém, manter os retrovisores externos e interno nas posições corretas é extremamente importante para a segurança de todos. Para reduzir seu campo de obstrução é necessário aumentar o campo de visão dos retrovisores, pois os pontos cegos são sempre laterais e traseiros. Para direcioná-los da maneira certa é necessário estar sentado no banco com a postura correta e costas apoiadas no encosto, os pés precisam alcançar os pedais pisando fundo facilmente e os braços sempre semiflexionados e alcançando a parte de cima do volante. Feito isso, o primeiro retrovisor a ser ajustado é o interno, o vidro traseiro deve ser encaixado dentro do campo de visão do espelho. Já os externos deve pegar o mínimo possível da lateral do veículo e aumentar a visibilidade da estrada, dessa forma os pontos cegos diminuem e seu campo de visão aumenta, consequentemente, os riscos de colisões por causa de obstruções são menores. Experimente ler também: Teto solar: como ele pode ajudar na economia de combustível?


POST EM DESTAQUE